Os melhores momentos do Rocky Mountain Games

Os melhores momentos do Rocky Mountain Games

A Serra da Mantiqueira é palco de diversas competições de modalidades outdoor, mas reunir todas elas em um único festival, proporcionando cultura e experiência outdoor, foi uma novidade. O Rocky Mountain Games estreou com a proposta de exaltar a cultura de montanha e conseguiu atingir o seu objetivo.

No último final de semana, a Praça Pinho Bravo, no bairro Capivari, em Campos do Jordão, foi a grande arena dessa celebração. Foi a largada e a chegada de vários guerreiros que enfrentaram chuva, frio intenso, lama, dor e cansaço pelo prazer e o desafio que só o esporte pode proporcionar.

Atletas profissionais e amadores competiram em provas de trail run (corrida em trilha), corrida uphill (em subida), mountain bike, ciclismo de estrada e downhill. A prova de ciclismo abriu a maratona de provas do festival, em que os ciclistas encararam 50 km de subida da serra de Campos do Jordão. Dois dos grandes nomes atuais da modalidade venceram a prova: Otavio Bulgarelli e Marcella Toldi.

Prova de ciclismo de estrada de 50 km do RMG – Foto: Rosita Belinky

+ Quem venceu o ciclismo do Rocky Mountain Games

Em seguida, foi a vez do trail run e da galera encarar trilhas bem técnicas. A disputa começou com a prova de 6 km. O grande vencedor foi o novato e estreante na modalidade de apenas 14 anos Renan Vitor Pontal, que fez a prova em 30 minutos e 13 segundos. É importante salientar que no Rocky Mountain Games a garotada dessa faixa etária esteve presente em várias modalidades, muitos deles nas provas de mountain bike. No feminino de 6 km, Louise Souza de Lima, 29, chegou em primeiro. Na trilha de 10 km, o mineiro Thomaz Tassinari, 31, venceu a prova com o tempo de uma hora e 32 segundos. E Mariana Reis de Assumpção, de 42 anos, completou a prova em uma hora e 17 minutos.

A prova mais casca grossa, a de 25 km, foi dominada por atletas da região. Célio Augusto da Rosa, 41, venceu a prova no masculino. Ele completou percurso técnico e de altimetria dura em uma hora e 49 minutos. A jovem atleta de 21 anos Evelin Fernandes surpreendeu com a conquista dos 25 km. “Foi a nona vitória de dez provas disputadas, e foi a mais difícil que fiz na vida”, disse a corredora, que também ganhou a competição de uphill.

+ Como foram as provas de Trail Run e Corrida com Cachorro do Rocky Mountain Games

Willian Oliveira e o cão Xico, vencedores da prova de corrida com cachorro do RMG – Foto: Rosita Belinky

Outra prova que merece destaque foi a corrida de cachorro. A modalidade que tem tudo para crescer no país animou e encantou o público. Os competidores e seus melhores amigos encararam 6 km. “Os cães só queriam ultrapassar o outro e nem se olhavam, mostrando tamanho foco, subindo uma trilha apertada, fazendo o máximo de força que eles podiam no barro escorregadio e eu só torcia para que as minhas pernas resistissem ao máximo para ficar ali olhando aqueles monstros se divertirem juntos”, disse o vencedor da prova Willian Oliveira, que junto com o cão Xico são campeões sul-americanos da modalidade. Entre as mulheres, Nadine Spath, da equipe Cani City, venceu com a ‘cãopanheira’ Tina.

No domingo foi a vez do mountain bike nada fácil de 20 km e 35 km. O frio castigou e fez muito atleta dos 35 km não suportar todo o trajeto. No masculino, quem chegou primeiro dos 20 km foi Flávio Caetano Ferreira e dos 35 km foi Rafael de Oliveira. Entre as mulheres dos 35 km rolou uma disputa acirrada durante quase toda a prova entre Viviane Favery e Marcella Toldi, que já havia vencido a prova de 50 km do ciclismo de estrada. Viviane, que é bicampeã brasileira de mountain bike XCM, ficou com o primeiro lugar. Nos 20 km a grande vencedora foi Nicole Gobeth.

+ Pilotos do MTB downhil são desafiados em percurso lamacento

Pódio feminino do MTB – Juka

A galera do downhill veio em seguida e dominaram os teleféricos do Morro do Elefante com suas bikes para detonarem em uma super descida de 800 metros. A chuva não deu um segundo de trégua e a pista se transformou em tobogã de lama mega radical. O mais rápido foi Vagner Fenix. O atleta foi quem fez em menor tempo a descida do Morro do Elefante (01min26s). Entre as mulheres, a vencedora foi Agda Souza (3min08).

Os atletas que chegaram ao pódio das modalidades de trail run, mountain bike e ciclismo de estrada ganharam prêmios em dinheiro que totalizaram mais de R$ 30 mil. Inclusive, a premiação foi igualitária entre os dois gêneros. O Rocky Moauntain Games também propôs um super desafio, o título de Rei ou Rainha da Montanha para os competidores que se arriscaram em mais de uma ou todas as modalidades do festival.

Bruno Henrique Santos Pereira, o Rei do RMG – Foto: Juka

Bruno Henrique Santos Pereira e Gabriela Carvalho foram coroados Rei e Rainha da primeira edição do Rocky Mountain Games. Bruno, que é o atual campeão paulista e brasileiro de duathlon, fez as provas de ciclismo de estrada, trail run, mountain bike e foi o campeão do uphill. A atleta de corrida de aventura Gabriela encarou as mesmas provas e levou o prêmio de rainha.

A Rainha do Rocky Mountain Games, Gabriela Carvalho, durante a prova de Uphill – Foto: Rosita Belinky

“Trail run foi difícil porque tinha acabado de vir do ciclismo de 50 km, então as pernas estavam bem pesadas. O mountain bike também, porque larguei um pouco atrasada, então fui fazendo uma prova de recuperação. Mas gostei de todas, porque os percursos foram bem montados, muito gostosos”, disse a competidora.

E entre as provas, o público pode curtir o som da banda Vegabytes, sessões dos melhores documentários de aventura exibidos no Festival Rocky Spirit, curtindo boa comida e cervejas geladas da Colorado. O Acampamento Go Outside de Aventura também garantiu muita diversão para a criançada, e atividades como slackline e arremesso de machado fizeram sucesso entre todas as idades. Também aconteceu na arena uma aula de superioga com Angélica Banhara.

Para o idealizador do festival, publisher e fundador da Rocky Mountain Sports Content, Caco Alzugaray, a arena foi fundamental para atrair novos entusiastas. “A gente também queria trazer e fomentar a cultura outdoor na cidade de Campos do Jordão e para pessoas de São Paulo, com atividades que todos pudessem aproveitar.”

E mesmo com o clima de frio e chuva, o saldo foi positivo. “Se conseguimos fazer tudo isso com essa condição climática e reunir os melhores atletas da cada modalidade, imagina com solzão. Foi super legal, uma provação cumprida, porque é uma estreia de um evento complexo, com várias modalidades. Deu certo e estou super feliz”, afirma Caco.